Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 3 de junho de 2013

ACORDANDO

Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo
ACORDANDO
     Quando dia amanhece tudo é mansidão.
     Quando corpo acorda, sensação de nascimento. Instante pra despertar novas ideias, novos passos, novas realizações.
     No escuro do dia em busca da claridade abro portão que escancara a rua vazia, quieta e com galhos e folhas caídos por força do vento noturno.
    Dela recebo cumprimento desejando que eu tenha um bom dia. Retribuo desejando a ela bom trabalho enquanto vou pra casa pensando no hoje já presente em mim.
     Não acontece nada de diferente e por isso deixo Folhetos Cadinho RoCo naquele carro que reconheço por sua placa. Não é a primeira vez que deixei folheto naquele carro.
     Vou com o dia que continua indo.
Belo Horizonte, 03 junho 2013
      ATO PREVENTIVO
     O hábito de caminhar com cães e cadelas em vias urbanas, sem estarem os animais encoleirados e sem o comando da guia, não limita-se ao abuso. Vai à falta de respeito, para não dizer da enorme insensibilidade social a causar tantos dissabores. Fosse eu escrever sobre isso a cada encontro com um desses seres, não faria outra coisa. São muitas as pessoas que parecem não conseguir perceber que, por serem irracionais, cães e cadelas agem pela via do instinto, por mais adestrados que sejam.
     Por tratar-se de um boxer, o meu cão Aleph já está cansado de sentir-se alvo, ao ser surpreendido por inesperadas aproximações de pequenos canídeos a usufruírem da irresponsabilidade de seus ditos condutores, ou condutoras. Aí vem aquela velha história de mexer com quem está quieto, podendo daí acontecer o inesperado.
     Não será mais prudente prevenir do que remediar?

Belo Horizonte, 22 novembro 2000

3 comentários:

Carla Ceres disse...

Em geral, os donos de cães pequenos são os mais irresponsáveis, Cadinho. Depois reclamam quando os bichinhos se perdem ou se machucam. Boa semana!

Célia Rangel disse...

Fica evidente a falta de educação social das pessoas que acham que vivem sozinhas no mundo, sem nenhuma responsabilidade! Inominável!
Abraço, Célia.

Cristina Cebola disse...

O respeito é essencial à boa convivência humana...

Abraço e boa semana...:)