Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 2 de junho de 2013

TELEFONE ROSADO



Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo

TELEFONE ROSADO

     Dia acorda, mas não amanhece. No céu, mais nuvens do que sol.

     Na esquina das avenidas Getúlio Vargas com Cristovão Colombo ela mais corpo do que roupa. Par de botas mais encorpadas do que suas pernas finas enfiadas em meia-calça de seda sintética preta, bermudinha barata, agasalho limitado ao que o dinheiro deu pra comprar.

     Deve ter saído de algum bar, deve estar ali à espera da realização de algum sonho em que o príncipe encantado chegará para leva-la à felicidade plena.

     Sigo caminho com cão Jota que puxa pra lá, mas quem comanda coleira sou eu. Vamos em linha reta deixando aquela jovem com seu telefone celular rosado em uma comunicação surgida de repente. O chão está úmido, tempo com jeito de chuva.

Belo Horizonte, 02 junho 2013

ONDULANTE



Você some

Desaparece

Aparece

 Surge.

Louro ondular

Do luar

A fascinar

O meu vagar.

Você vem

Qual prece

Em silencio

A trazer

Ao querer

Sua presença.



Belo Horizonte, 05 novembro 2000

Um comentário:

Lady_Celeste disse...

!!Hola cadinho!

La mujer de tu historia deberia saber que los principes azules dejaron de existir,se da cuenta de eso,sera feliz.me gusta que haya perritos en las historias,me gustan mucho.

Besitos y buen domingo.