Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

SEVERIDADE

SÉRIE XAMÃ
dos Folhetos Cadinho RoCo
SEVERIDADE
     Acontecem coisas que fogem a uma explicação sensata nossa, evolução de fatos a culminarem em resultados nem sempre felizes.
     Xamã é amado, mas sofre resistência de quem já não tem tanta paciência com cães e isso é natural. Tão natural quanto seus momentos de birra a insistirem em fazer o que não deve por razão diversa. Nada que a paciência não possa dar conta.
     Mas, quando a resistência resolve querer superar a prudência, aí situação fica ruim.
     Xamã cismou de encontrar na cozinha lugar pra fazer xixi. É distrair com o bicho e o rastro da urina se faz presente. Sendo assim, hoje acesso do cão à cozinha está proibido. Cão não gosta, mas não tem que gostar porque nesse momento de aprendizado não dá pra abrir mão da severidade.
Belo Horizonte, 26 dezembro 2013
FRANCAMENTE

Serei eu fantasma
Nesse mundo de
Espantos marcados
Por tantas contradições?
Serei eu o diretor dirigido?
Serei eu o vendedor vendido?
Serei eu o comprador comprado?
Serei eu o mercado que é ninguém?
Serei eu fantasma
Desse mundo de
Tanta imundície,
Ou serão fantasmas
Aqueles que fingem ser
O que não são?


Belo Horizonte, 10 dezembro 2002

3 comentários:

Laura Santos disse...

Xamã necessita dessa severidade de vez em quando para entrar nos eixos...:-)
Uma bela refexão poética! Na verdade todo aquele que finge ser o que não é acaba por tornar-se um pouco fantasma de si próprio.
Vivemos num mundo de fantasmagoria.
xx

Sissym Mascarenhas disse...


Olá Cadinho!

Temos muito o que aprender, a vida é uma evolução constante para quem estiver atento e aberto.
Eu desejo o melhor para voce.
Que seja a magia do amor o instrumento para a transformação de cada dia num outro ainda melhor.

Feliz 2014!

Beijos

Liza Leal disse...

E são tantas perguntas.
Muitas delas,a flutuar.

Grata pela visita
ao Drink.

Feliz 2014, Cadinho!
=)