Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 26 de junho de 2017

JEITO SIMPLES



JEITO SIMPLES
      Tem muita gente corrompida à solta por aí. São presenças realçadas pela vaziez de posicionamentos, criaturas que estão onde não sabem decifrando, pelo equívoco, o que se apresenta de maneira tão simples quanto convicta. Mas, na ânsia em querer transformar tudo atendendo à carência que é própria de quem não consegue chegar onde quer, investem em trejeitos e atitudes realçadas muito mais pelo delírio do que pela prudência.
      Tem muita gente se deixando levar pela ilusão de que fora da fantasia não existe vida. E quando a ilusão passa a ocupar a verdade eis que a mentira assume o comando da farsa.
      www.hellowebradio.com ... jeito simples de ser quem é.
Belo Horizonte, 26 junho 2017
AFETUOSO
     Xamã valoriza tudo que lhe é ofertado, já aprendeu a não cuspir no prato que come. Na realidade não sei se na condição de cão Xamã sabe cuspir, mas sei muito bem do quanto há de atitude nesse animal em reconhecimento ao que lhe é disponibilizado.
     A fidelidade canina já é conhecida e reconhecida pelos humanos faz tempo. E essa postura tornou-se ainda mais autêntica quando vinda de um ser que age dessa maneira pelo mais puro proceder da afeição. Não há em Xamã agir premeditado, planejado ou simulado. O que há na realidade dele é o entusiasmo em se dispor ao querer bem o que, aliás, tem feito muita falta nos relacionamentos humanos espalhados por aí.

Belo Horizonte, 14 fevereiro 2014

3 comentários:

Louraini Christmann - Lola disse...

Bom dia!

Que cada dia
Seja um dia
Querendo mais
Um dia!

Bom teu texto.
É bem por aí...


abraço
Lola

dinapoetisadapaz disse...

Olá Cadinho, sábia e verdadeiras palavras contém o seu texto, penso que os humanos estão virando bicho, e olhe que os bichos se respeitam e se amam.
ABraço!

Maria Glória disse...

Olá Cadinho, boa noite!
Agradecia pela visita e palavras em meu blog. Bem-vindo!
A máscara, por vezes, se faz a vida de muitas pessoas. E quando ela cai, é como a queda de um edifício inteiro. Uma boa postagem, Cadinho.
Gostando de navegar por aqui, já tornei-me seguidora.
Um abraço.