Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 22 de junho de 2018

GARRAFAS


GARRAFAS
Olho para as garrafas
Quero garrafas
Preciso de garrafas
Muitas garrafas.
Imagino garrafas
Bebo garrafas
Embriaguez das garrafas
Desafio garrafas.
Segredo de garrafas
Abro garrafas
Esvazio garrafas
Busco mais garrafas
Sede de garrafas
Pesadelo das garrafas.

Belo Horizonte 22 junho 2018
MANEIRAS E Asneiras
Ao avesso
Um sentido
Avesso ao que
Nutre o alheio
Que sou e trago
Pelos cigarros
Que fumo e exalo
Aos mundos nuvens
Feitas em leves
Ilusões acesas
Por noites inteiras.
Vivo maneiras
E outras asneiras
A me comporem.

Belo Horizonte, 14 outubro 1985

3 comentários:

Vanda Nicole disse...

Fica tudo engarrafado ;))) Adorei :)))
Visite-nos

Beijinhos molhados :)))

Lucia Silva disse...

Um poema bem diferente, engarrafado e me dá água na boca em pensar nos tipos de garrafas, aí as garrafas de cervejas e coca-cola, uiiiii que delícia!
Beijos carinhosos!

Mary Lane Amaral disse...

Garrafa é tema de criação artística? Se a liberdade é condição imprescindível para o exercício da criatividade, qualquer tema estabelece sentido poético, desde que haja objetivação e talento. Aí qualquer lembrança é bemvinda na construção de uma obra de arte!!!!!! E Vivam as garrafas!!!!!!!