Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 14 de junho de 2018

QUIEMANDO


QUIEMANDO
Chega o caminhão
Trazendo feijão
Felicidade no ar
Alívio no respirar.
Beira de fogão
Panela de pressão
Agora é só esperar
Pelo bendito cozinhar.
Vida pensando
Na água e no fogo
Conversa no jogo
Daquele demagogo
Que não sabe nem quando
O feijão está queimando.

Belo Horizonte, 14 junho 2018
GESTO RELÓGIO
O relógio parado
Quebrado e guardado
Assinala paralisia
De um tempo que vai.
Vamos vivendo
O relógio quebrado
E atuado por um sentido
Achado no tempo.
O tempo quebrado
Querendo reparo
Querendo viver.
O tempo voltado
Ao vagar do relógio
Mostrador de instantes.

Belo Horizonte, 13 julho 1985

Um comentário:

Lucia Silva disse...

Tanto o Quiemando como o Gesto do Relógio são poesias profundas, belas e reflexivas.
Abraços!