Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

SERÁ POSSÍVEL?

Aqui o registro do quanto necessito sempre de patrocínio

SERÁ POSSÍVEL?

Aquele que não se dá ao respeito passa a não ser respeitado.

João da Barra impressionado com o que acontece chega a não acreditar no que por força da evidência não tem como ser ignorado.

Viação Itapemirim, empresa enorme, idônea e responsável por uma prestação de serviço importantíssima. Mas é estranho perceber na estação rodoviária de Belo Horizonte, na enorme placa instalada sobre sua loja de venda de passagens, municípios atendidos pela empresa. Lá está, entre outros, São João da Barra. Mas, ao adquirir passagem para São João da Barra todo cuidado deverá ser pouco, porque para a Viação Itapemirim a Praia de Santa Clara, situada em São Francisco do Itabapoana está em São João da Barra. Em outras palavras, se não deixar bem claro, no momento da compra da passagem, que quer ir para Grussaí, para o SESC – Serviço Social do Comércio – mineiro ou para a sede do município de São João da Barra, você corre o risco de embarcar em ônibus que seguirá para Santa Clara, em São Francisco do Itabapoana. E se comprar passagem em sentido contrário, correrá o risco de esperar em São João da Barra o ônibus que partirá de São Francisco do Itabapoana.

É preciso que isso seja devidamente reparado e com urgência. O município de São Francisco do Itabapoana para a Viação Itapemirim não existe nas placas das estações rodoviárias de Belo Horizonte e Campos dos Goytacazes, nem no site da empresa, em lugar nenhum. Como isso pode acontecer com uma empresa do porte de uma Viação Itapemirim?

Belo Horizonte, 09 fevereiro 2010

A VENDA

Se você não compra, não vendo.

Se não vendo, você não terá a venda que quer que eu faça. Se você não compra, a venda não acontece. Para que haja a venda, é preciso haver a compra. Sendo assim, a venda precisa tanto da compra, quanto a compra precisa da venda.

Se a intenção é anunciar a venda, antes a necessidade da compra. Assim, o movimento que irá caracterizar a venda e a compra.

Sem anunciar o propósito da venda, a compra estará indo ao encontro de quem para ela acenou. Daí, a necessidade do anúncio da venda. Se você não anuncia o desejo da venda, como irá pretender o desejo da compra? Assim, você compra o que irá vender, investindo no anúncio da venda.

A propósito, o que quero é vender o investimento do anúncio, para que o investimento de sua compra resulte no lucro trazido pela venda.

Belo Horizonte, 21 agosto 1999

11 comentários:

Sonhadora disse...

Cadinho

Passo para deixar um beijinho de boa noite.

Sonhadora

Lou a esquizoffrenica disse...

olá cadinho. Por vezes esse mundo de economia me faz-me alguma complicação, não é?

Secreta disse...

Todas as coisas estão interligadas e todos os actos trazem consequencia .
Beijito.

Olga disse...

Obrigada por ter vindo ao meu "cantinho" e ter comentado o meu texto. Existem coisas realmente que nos fazem dizer alto duas vezes: Será possível? Mas parece que ningém dá por isso, nem ninguém reclama. Gostei do blogue, faz pensar e o Homem hoje precisa de pensar. Parabéns.

.Lis disse...

Oi Cadinho
Conheço bem a Viação Itapemirim porque sou capixaba e moro no Rio ,por acaso rsrs , conheço bem é a maneira de dizer já viajei muito de Vitória pro interior e a desordem parece acampar por essa empresa. faz tempo.
Denunciar , exigir é nosso dever.
Agora, me enrolei toda com o texto da venda " a venda precisa tanto da compra , qto a compra precisa da venda!! será obvio? rsrs
abraços e boas vendas.

claudete disse...

É possível sim, como é óbvio que interesses "ocultos" provocam este tipo de aberração. Somente o usuário poderá , talvez, mudar a situação. Abraços e Feliz Carnaval. Quando o pc deixa , rs, estou visitando os amigos.

Alicinha disse...

Passando pra agradecer a visita!!

Delirius disse...

A aflição, a gente aprende a lidar com ela, né?!...
Importante, importante, é saber que alguém sentiu a nossa falta!
Eu sempre sinto a sua!
Beijo.

Bandys disse...

Oi cadinho,

Que bom que voce explicou.

Quando vou pra minas vou de carro.

Ja pensou se acontece de avião?

Beijos

Lilá(s) disse...

E fiquei aprendendo algo...
Bjs

Daniel Savio disse...

Cra já aconteceu algo parecido, só que peguei o ônibus da Brasil para Itaperuna (olha que eu perguntei a fiscal se ia para São Fidélis) ai deu uma maior melda, pois tive de voltar parte do caminho a pé, no sol quente...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.