Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 23 de maio de 2013

DE CADA DIA


Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo

DE CADA DIA

     Da prosa de cada dia eis que somos remetidos a situações inesperadas.
     No comércio entendo não haver nada que possa, em definitivo, definir o quanto há de mistério num processo de venda. Isso porque as situações acontecem também de maneira totalmente inesperadas. Razão pela qual surgem momentos dos mais extravagantes, argumentos por demais destoados do que está inserido à proposta de venda fazendo com que de um instante para outro a prosa mude de rumo.
     Quando então ficamos expostos a alguma negociação, melhor é não criar tanta expectativa para que a paciência não se perca em meio a colocações tão descabidas.
     Da prosa de cada dia, eis que somos levados a pensar naquilo que antes estava longe, mas muito longe mesmo do nosso presente, que é sempre bem mais amplo do que podemos imaginar.

Belo Horizonte, 23 maio 2013

CRONOLOGIA DA FANTASIA

     Na praça, a agência bancária.
     Na agência bancária, a praça.
     No banco Bandeirantes, já quase entregue à lembrança, uma sensação nova. O banco outro, cria outro estilo. E para completar, além de documentos e papéis de propaganda, a presença dos textos a apresentarem a cronologia da fantasia. As crônicas a distraírem o tempo, excluindo o ócio da espera. São folhetos distribuídos ou colocados em exposição ao dispor das pessoas.

Belo Horizonte, 22 outubro 2000

 

 

 

3 comentários:

Carla Ceres disse...

Admiro os comerciantes, Cadinho. Lidar com clientes não é pra qualquer um. Abraço!

Ivone Mendes disse...

Interessantíssimo

Gracita disse...

Tudo que envolve o ser humano produz situações inusitadas e por vezes descabidas. As pessoas agem baseadas na emoção e na maioria das vezes extrapolaram na argumentação criando situações esdrúxulas.
Um abraço
Gracita