Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 9 de junho de 2013

SENSATEZ


Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo

SENSATEZ

     Nem só de pão vive o homem. Eis que surge o doce pra aliviar o sal da boca. O doce caseiro a mostrar que de mãos simples surgem sofisticadas iguarias.
     Chove forte e o vendedor de guarda-chuvas aparece animado da vida. Enquanto cai a chuva, sobe o preço do guarda-chuva.
     Em meio ao amargo da vida, eis que aparece o doce em calda de frutas selecionadas e vendidas com a poesia de um dizer que não aumenta o preço só porque chove torrencialmente.
     Nem só de lucro extravagante vive o homem. São das inundações da cobiça é que muitos morrem afogados, vítimas de seus próprios feitos.

Belo Horizonte, 09 junho 2013

ANDRÉA OU ANDRÉIA?

 

Sabor de estréia

Mel de colméia

Flor azaléia

Mulher Andréia

Azaléa ou Azaléia?

Andréa ou Andréia?

Cometa ou colméia?

Estrela ou estréia?

Pergunta sem resposta

Nada de aposta

Gostar de quem gosta.

Resposta exposta

Aposta imposta

Mesa posta.

 

Belo Horizonte, 28 dezembro 2000

2 comentários:

Gracita disse...

Que poema incrível meu amigo.
Por mais que procuremos não encontraremos respostas. Particularidades da língua e criativdade do poeta. Parabens amigo. Passando para deixar meu afetuoso abraço e desejos de um domingo de harmonia e muito amor.
Beijos no seu imenso coração.
Carinhos na alma
Gracita

Camila Monteiro disse...

hehehehe adorei a rima!

Parabéns!