Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 6 de julho de 2013

TOLERÂNCIA ZERO



Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo


TOLERÂNCIA ZERO

     Madame não quer ouvir nem de longe nada que diga respeito ao futebol. Da Copa das Confederações então, nem pensar. Madame tem ouvidos sensíveis demais e tímpanos que, após dias, teimosamente vibram efeito daquela vaia insuportável.

     Gentalha! Onde já se viu vaiar com aquela intensidade pra ela, a mãe do Programa de Aceleração do Crescimento, o tão famoso PAC nascido do primor de governo superdinâmico. Será que não sabem ser ela considerada das mulheres mais poderosas do mundo?

     Madame não se conforma. Desde aquele acontecido malfadado tornou-se áspera, mal humorada e não para de repetir, em momentos mais reservados, que agora sua tolerância é zero.

São Paulo, 06 julho 2013

CANTAROLAR DE IDÉIAS

     Convite para a noite. Lampião aceso diz que é certo não estar presente a jovem amada, entregue ao seu hábito de, durante a semana, dormir cedo. Será?

     Elimino a dúvida. Sem estender assunto, fecho questão. Nada a ser averiguado agora, senão a conveniência de acatar simpático convite.

     Imagino situações. Do paladar, a lembrança das generosas doses de animado uísque, regadas a conversa. Uma cantora surgirá. O convite inclui música. Ao cantarolar do desejo, vou sendo amolecido pela vontade.

     Lampião no contraste da lua estimula sonho. Por instante, a jovem amada desliza no esquecimento.

     Tudo pode acontecer em uma noite.

Belo Horizonte, 29 março 2001

Um comentário:

Célia Rangel disse...

É Cadinho... toda Majestade tem seu dia de inglórias... É muito bom quando sabemos calçar as sandálias da humildade e trilharmos por caminhos comuns...
Abraço, Célia.