Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

DA SOMBRINHA


Pra quem sabe empreender, tudo é motivo pra fazer algo

DA SOMBRINHA

     Das andanças e cavalgadas pelos cantos da Fazenda Campo Alegre, momento de descanso pra pensar no agir de cada feito executado ou planejado. Um belo dia Zéostaco resolveu rezar por coisas da banda do pessoal, surpresas que vão da doença pra saúde num susto de repente inevitável. Foi aí que veio ideia intuição de mexer ali bem ali naquela sombrinha sagrada.
     Em viagem de fé e reza foi a Aparecida do Norte e de lá trouxe imagem imponente de Nossa Senhora Aparecida. Tudo na intenção de dar àquela sombrinha proteção de benção que resultou na construção da capelinha pra ela, Nossa Senhora Aparecida. Pra completar feito caprichoso e não menos dadivoso, Zéostaco instruiu capataz pra providenciar banquinho de madeira, desses de praça pública, pra ser instalado ali bem na sombrinha que hoje serve qual tapete de entrada da capelinha que é de um encanto só.

Belo Horizonte, 20 fevereiro 2013

CHOPE MULHERZINHA

     Pode até não parecer, mas o Fred é um detalhista. Homem de gosto exigente e paladar apuradíssimo, traz consigo a temperança do que é bom. Para completar, trata-se de um ser tão atento quanto criativo.

     Das mulheres, aquela que conhece e reconhece nele, o ser amado. E o moço ri tentando encontrar alguma fantasia, como elemento de proteção. Mas quem não nasceu para fanfarrão, fica muito sem alternativa diante da pura essência do amor.

     Melhor pedir um chope. Aí o Fred desafia a nomenclatura do Colúmbia, aquele bar especial, transformando o “chope garotinho”, no saborosíssimo “chope mulherzinha”.

     A fada aceita a sugestão, mas quer saber que “mulherzinha” é esta, capaz de deixar o Fred tão sedento. Não será ela uma mulheraça?

Belo Horizonte, 14 outubro 1999

Um comentário: